© 2018 LPCM-UFG.

Projetos em Andamento

MÚSICA, CORPO E CIÊNCIA:  estudos sobre a preparação do corpo para a performance musical

Investiga as relações entre o uso do corpo na atividade musical, em particular na performance musical, é parte da realidade do músico-pesquisador que vive a multiplicidade de funções exigidas na atual demanda de atividades guiadas pela velocidade e quantidade de informação em tempo real via conexão digital. O presente projeto está concentrado na problemática existente em torno do músico que atua em na performance musical, qual seja, aquela gerada pelo uso do corpo na preparação técnica, na atuação em performance, no trabalho docente em performance, além do uso imperativo de computadores e da realização de trabalhos burocráticos até as ações corporais cotidianas. Dentre as áreas afetadas por esta problemática estão: a) biomecânica do corpo humano, b) cognição musical, c) uso do corpo no aprendizado musical, d) o corpo na atividade do performer musical. O objetivo geral é realizar um estudo sobre a preparação do corpo em geral para a performance musical e especifica para cada tipo de instrumento musical. Os objetivos específicos incluem: a) rever e ampliar a literatura sobre o tema; b) identificar musculatura a ser trabalhada de acordo com o tipo de instrumento; c) investigar o uso da música na prática de exercícios físicos; d) indicar aplicações da música em tipos deferentes de preparação física. A metodologia utilizada engloba trabalho de campo (experimentos) e reflexões de cunho teórico-conceitual. As conclusões parciais serão divulgadas em artigos científicos e o resultado final comporá um livro com colaborações dos pesquisadores participantes.

Responsável: Sonia Ray

PERFORMANCE MUSICAL E ESTRESSE: um estudo sobre o impacto do estresse na formação e atuação de músicos no Brasil
Descrição: Investigações realizadas entre 2005 e 2011 revelaram evidenciaram que as pesquisas em psicologia da música se ampliaram tanto que as revisões sobre o tema não foram são mais possíveis sem uma subdivisão dos estudos de psicologia da performance musical em subtópicos tais como: percepção rítmica e performance, percepção corporal e performance, memória e performance, controle motor e performance, e assim por diante. A demanda sobre estudos específicos de aspectos psicológicos relacionados à performance musical é cada vez mais alta, acompanhando o também constante aumento da excelência em performance. Justamente na associação com outras áreas do conhecimento como a psicologia e as neurociências é que se encontra a preocupação destes pesquisadores com o preparo do intérprete para uma performance. Assim, os músicos vêm se beneficiando cada vez mais dos estudos envolvendo psicologia, à medida que se unem aos psicólogos e neurocientistas em propostas de pesquisas interdisciplinares, buscando explorar possibilidades de estudo da interpretação musical. Os questionamentos surgidos de pesquisas prévias, motivação para o desenvolvimento desta pesquisa, são: 1) a efetividade de uma performance estaria diretamente ligada a profundidade com que o performer estuda a técnica e o texto musical, a sua condição neurológica e ao seu preparo físico e psicológico; 2) A forma com que o performer processa todos estes elementos, ou seja, sua metodologia de estudo e aprofundamento estético musical constantes e de preparo para performances, são elementos determinantes da efetividade da sua produção e do seu êxito profissional; 3) A dissociação dos termos ‘técnica’ e ‘método’ de implicações de ordem psicológicas do aprendizado musical, notadamente em publicações de material de estudo de instrumento musical, dificultam o processo global de aprendizado do performer; Assim, o objetivo geral da pesquisa é realizar um estudo sobre o perfil (psicológico e de atuação como músico) dos estudantes e profissionais de música no Brasil a partir de um experimento com estudantes de graduação e pós-graduação e profissionais-docentes das 15 universidades públicas brasileiras que oferecem cursos de mestrado e doutorado. Mais especificamente pretende-se atingir as seguintes metas: a) rever e ampliar a literatura sobre o estresse e sua inferência na performance musical; b) determinar os vários níveis de estresse dos sujeitos em várias leituras (gênero, faixa etária, tipo de instrumento, região de atuação, tipo de atuação, nível de conhecimento musical, etc.); c) investigar o impacto do estresse na formação e atuação dos sujeitos; d) levantar indicações de como o impacto de estresse na formação e atuação do performer musical pode ser abordado por pesquisadores de forma a otimizar o potencial artístico desta comunidade, e) promover a ampliação dos estudos formais sobre cognição musical por artistas-pesquisadores com vistas a melhorias específicas na atuação e formação de músicos no Brasil. Em conclusões parciais verifica-se indícios de que haja pouca informação sobre psicologia da música destinada ao estudante brasileiro de performance musical em durante sua formação e a que existe não está formalmente direcionada à preparação para a performance. O impacto que a informação sobre psicologia da performance musical pode ter sobre o nível de estresse e ansiedade dos estudantes de música é significativo, haja vista a diferença de atitude dos participantes que receberam alguma informação sobre o tema comparado com os demais. Os que foram beneficiados, apesar de significarem apenas 20% da população com informação, afirmam ter sua preparação e atuação otimizada e apresentam níveis de estresse e ansiedade baixos.

Responsável: Sonia Ray